Atendimento Online

Depressão

A depressão é um quadro clínico que vai se instalando gradualmente e quando a pessoa se dá conta está vivendo com severas limitações e muito desconforto.

A pessoa que padece de depressão, com frequência não entende bem o que está lhe acontecendo, somente sente um intenso sofrimento e manifestam desconfortos tais como:

  • Sinto desânimo.
  • Não quero sair da cama.
  • Estou com inapetência.
  • Perdi vários quilos em pouco tempo.
  • Sinto muita fome e ganhei aumento de peso em pouco tempo.
  • Não quero conversar com ninguém, vim porque minha família insistiu.
  • Não sei, foi uma coisa que começou devagar, comecei a sentir tristeza, essa tristeza foi aumentando e agora eu choro o tempo todo, sem motivo, não consigo parar de chorar (emotividade).
  • É muito mais do que uma tristeza de momento.
  • Não tenho vontade de me mexer, fico sentada no sofá, parada e meu marido vem movimentar meus braços.
  • Não consigo mais trabalhar.
  • Eu até trabalho mas é com muito esforço.
  • As pessoas dizem que estou com uma cara muito séria, mas não tenho nenhuma vontade de sorrir.
  • Estou com insônia, não consigo dormir.
  • Eu me deito, mas acordo muitas vezes durante a noite (sono entrecortado).
  • Não consigo mais ler.
  • Não consigo nem assistir um filme (baixa concentração é característico na depressão).

A pessoa que padece de depressão pode perder suas consultas de rotina, pode estar se isolando (isolamento social é uma característica de quem está com depressão), se afastando dos familiares e amigos. Percebemos também que esse conjunto contribui para uma baixa autoestima, mas a pessoa que está sofrendo nem sabe o que dizer nem por onde começar a procurar ajuda.

Este problema tem um nome: depressão. Pode ser leve, moderada ou grave. Todas têm possibilidade de tratamento e melhora.

Mas, como fazer psicoterapia quando não se sente nem vontade de conversar?

Para isso é preciso uma psicóloga experiente, que inspire confiança, que demonstre compreensão perante a dificuldade de comunicação da pessoa que está sofrendo.

Essa profissional gradualmente ajudará a pessoa a ir sentindo confiança no trabalho de psicoterapia. Ela está capacitada para escutar e para fazer com que a pessoa que está sofrendo, aos poucos se sinta mais à vontade em conversar. Isto possibilita transformar a condição de sofrimento em uma condição de vida melhor.

O que causa a depressão?

Nosso comportamento é complexo e não iremos encontrar uma única causa da depressão, pois existem alguns fatores de risco que associados podem levar a um quadro depressivo, como por exemplo:

  • Genética
  • Fatores Estressores
  • Sedentarismo
  • Desequilibrio Químico
  • Eventos Vitais
  • Bioquímica Cerebral

Genética

Alguns membros da família da pessoa que está com depressão podem não apresentar quadro depressivo mas podem ter propensão à depressão: membros da família mais velhos tais como avós, tios ou tias, pai ou mãe. A genética pode ser responsável por 30% a 70% do risco. Mas ela sozinha não vai definir que a pessoa tenha uma depressão.

Fatores Estressores

Crianças que não são bem cuidadas durante a infância, que sofrem agressão física ou sexual ou que passam por perdas de entes queridos durante a infância.

Estresse diário na vida nas cidades grandes como trânsito por exemplo, passar por período de privação de sono, perda de entes queridos na vida adulta e diminuição de posto no trabalho também podem contribuir para o aparecimento da depressão em um determinado momento da sua vida.

Sedentarismo

O sedentarismo é também um fator importante uma vez que, para que nosso organismo se mantenha saudável, física e mentalmente, a atividade física é importante.

Desequilibrio Químico

A ingestão de alguns corticóides e antibióticos podem levar a uma queda de humor na medida em que podem produzir modificações no funcionamento do equilíbrio do corpo. As deficiências de algumas vitaminas ou de hormônios também pode ser um fator, assim como o uso abusivo de álcool.

Eventos vitais

As pessoas que possuem eventos vitais, como uma boa rede de relacionamentos e atividades de trabalho e hobbies à qual se dedicar, são menos propensas a entrar em depressão. Mas, quando a pessoa não tem essas redes de troca, de pertencimento vital isso também pode ser mais um fator que favoreça a que tenha depressão.

Bioquímica cerebral

Nosso cérebro tem todo um funcionamento associado e está embasando a nossa condição física e emocional. Alterações cerebrais podem acontecer, por exemplo: uma diminuição das conexões entre os neurônios e alteração no cérebro de neurotransmissores: uma diminuição de serotonina, dopamina e noradrenalina.

  • Com a diminuição da serotonina ficamos mais sensíveis às críticas, às ameaças do mundo, nos sentimos mais fragilizados e amedrontados.
  • Com a diminuição da noradrenalina diminui a nossa vontade, a nossa motivação e aumenta a nossa sensibilidade à dor física.
  • Com a diminuição da dopamina diminui a nossa capacidade de sentirmos prazer.

Como sair do círculo da depressão

A pessoa que está com depressão se pergunta como irá conseguir sair dessa condição psíquica uma vez que se sente “carregando o peso do mundo em suas costas”. Essa condição de sofrimento psíquico e limitação vital poderá ser transformada com ajuda profissional especializada.

Como estamos relatando, ao longo deste artigo, torna-se visível a necessidade de um trabalho conjunto: a cooperação da pessoa que está com depressão, uma psicóloga e um médico psiquiatra. O médico psiquiatra está capacitado para o tratamento das disfunções cerebrais mencionadas acima: alteração na dopamina, serotonina e noradrenalina.

Muitas pessoas com depressão relutam em ir ao psiquiatra. Dizem não querer tomar medicamento controlado porque não querem ficar dependentes dos mesmos. Na maioria dos casos os medicamentos utilizados no tratamento da depressão não são calmantes e não causam dependência.

A ajuda temporária dos medicamentos é necessária para reequilibrar a dopamina, a serotonina e a noradrenalina para se restabelecer um equilíbrio psicofísico nas pessoas que estão com depressão.

Qual é o papel da psicoterapia no processo de cura da depressão?

A pessoa com depressão necessita ser acolhida semanalmente e ter a quem relatar seus sentimentos, seus altos e baixos uma vez que a melhora da depressão não transcorre em uma linha contínua.

À medida em que o conjunto do trabalho se desenvolve, a pessoa com depressão consegue aceitar sugestões tais como tomar sol e fazer caminhadas e outros fatores que irão colaborar para um retorno do equilíbrio das funções cerebrais e psíquicas.

Nos casos em que o paciente já está sendo acompanhado por um médico psiquiatra a psicóloga não irá solicitar mudanças neste aspecto. Uma profissional qualificada respeita os vínculos saudáveis já construídos pelo paciente.

Caso a pessoa com depressão não esteja em acompanhamento médico a psicóloga poderá indicar ao paciente um profissional com quem já trabalha e que seja de sua confiança.

O tempo que cada um necessita dos medicamentos varia e é cuidadosamente avaliado caso a caso.

Porém, como já mencionamos acima, somente a terapia medicamentosa não é suficiente. É necessária a psicoterapia. Ser escutado. Ser acolhido, criar um novo elo, um bom vínculo de cooperação e confiança com a psicóloga.

Uma luz no fim do túnel

A psicoterapia é uma experiência em que a psicóloga é uma facilitadora. Se o paciente tem muito a dizer ela o escuta atentamente e faz algumas pontuações que possam ajudá-lo a refletir, a se colocar em busca de saídas. A profissional estará lado a lado para que o paciente possa construir as diversas alternativas que irão surgindo durante o processo terapêutico.

Como já foi dito, o paciente com depressão frequentemente tem muita dificuldade para falar. Mas uma psicóloga experiente possui técnicas de manejo para esse tipo de situação. A profissional saberá encontrar as palavras adequadas com cada paciente para ajudá-lo a começar a falar de si. Em Psicologia cada caso é um caso e cada pessoa requer uma atenção diferente. Reconhecer a especificidade de cada pessoa é uma condição necessária no trabalho e atuação da psicóloga.

Uma profissional capacitada poderá ajudar a pessoa com depressão a recuperar sua vontade, sua concentração, expressividade, compreensão de seus próprios medos e acolher o seu choro. No conjunto de todo esse trabalho e do empenho do paciente, a autoestima começa a reaparecer.

Esteja certo, esteja certa, existe uma luz no fim do túnel!

Se você se sentiu acolhido entre em contato comigo. Você poderá ver como se sente com a minha maneira de trabalhar. Eu poderei escutar o que está te afligindo. Vamos marcar uma conversa inicial para nos conhecermos?

Autora: Maria Elvira Melo Vieira

Todos os direitos reservados.

É permitido

Curtir e compartilhar nas redes sociais.
Se você gostou do que leu aqui, compartilhe o link em suas redes sociais.

É proibido

Copiar ou reproduzir total ou parcial este artigo sem autorização do autor.

O texto original postado por um blogueiro em seu blog é protegido pela lei 9610/98. O texto é de sua autoria e seus direitos, pertencem ao autor. A proteção engloba também imagens. Portanto, somente os autores poderão reproduzir ou autorizar a reprodução.

Um texto original publicado em um blog somente poderá ser reproduzido com a autorização prévia e por escrito do autor. Não importa se você coloca o link ou dá os créditos. A autorização prévia deve ser pedida, de preferência por meio escrito (email por exemplo) para que a obra seja publicada.

Publicação e reprodução dos textos

Se você quiser publicar algum artigo aqui do blog em revista ou outros meios, entre em contato conosco e solicite autorização.

Share This